Wednesday, October 17, 2018

Curtas à Quarta

                                                                Hoje, às 21h30, no Arco 8                
                                                              CURTAS com Eduardo Brito               
_
Apresentação de curtas-metragens escritas e realizadas por Eduardo Brito. A Glória de Fazer Cinema em Portugal (Manuel Mozos, 2015); sobre a vontade do escritor José Régio de fazer cinema; O Homem Eterno (Luís Costa, 2017), um registo entre o documentário e a ficção, através de filmagens de arquivo, um neto revê a vida do avô; Penúmbria (Eduardo Brito, 2016), a distopia de uma cidade não habitável e Declive (Eduardo Brito, 2018), uma história de melancolia e de regressos e o vídeo Where's Your Memory? (2017), feito para a exposição Revisão, no Museu do Douro.

Bio

Eduardo Brito trabalha em cinema, fotografia e museologia. Tem o mestrado em Estudos Artísticos, Museológicos e Curadoriais pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, com a dissertação Claro Obscuro – Em Torno das Representações do Museu no Cinema. Entre a escrita, a fotografia e o cinema, os seus trabalhos têm explorado os temas verdade-ficção-memória, bem como a relação texto-imagem: assim com os livros As Orcadianas (2014) e East Ending (2017) e com as séries fotográficas 5 p.m. Hotel de la Gloria (com Rui Hermenegildo, 2015), Revisão (2017) e Un Samedi Sur Terre (2017). Escreveu o argumento das curtas O Facínora (Paulo Abreu, 2012), A Glória de Fazer Cinema em Portugal (Manuel Mozos, 2015), Catherine ou 1786 (Francisca Manuel, 2017) e O Homem Eterno (Luís Costa, 2017) e da longa Hálito Azul (Rodrigo Areias, 2018). Realizou as curtas metragens Penúmbria (2016) e Declive (2018).

No comments: